Transformando a vida em uma “mala enxuta”

pedrafurada6

“O homem não percebe, mas ele não compra nada com dinheiro, mas com tempo. Com tempo de vida. O tempo que ele gastou para conseguir esse dinheiro. Só que, ironicamente, a vida é a única coisa que não se pode comprar. A vida apenas se gasta” Pepe Mujica (ex-presidente do Uruguai)

Sempre gostei muito de viajar. Para você ter uma ideia quando fiz 15 anos pedi para meus pais, de presente, um cachorrinho ou uma viagem para Salvador (BA).

Naquela época os pedidos eram bem mais simples, confesso. Enfim, ganhei os dois. Uma cachorrinha boxer, que chamei de Tina e uma estadia na capital baiana.

De lá para cá, já rodei muito. De Machu Pichu no Peru à Cidade do Cabo na África do Sul e por aí vai.

Independente de roteiros e tipos de viagens, o que sempre me incomodava era fazer e desfazer as malas e, principalmente, carregá-las! Aquele trambolho todo, um fardo! Fora todos os incidentes que já passei e que você, com certeza, também já deve ter passado.

Quem nunca teve uma mala extraviada? Aberta? Danificada? Nem gosto de me lembrar dessa época…isso mesmo, porque já passou, já faz um bom tempo que mudei meu modo de viajar e de viver.

Resolvi viajar leve, só levar uma pequena bagagem de mão ou mochila, contendo o que realmente é essencial. Não há espaço para supérfluos, para possíveis “ se “ . E se precisar disso? Se o tempo mudar? Se, se, se….

E sabem o que descobri? Que os “ses” raramente acontecem e que as vantagens desse estilo de viagem superam em muito, os eventuais contra tempos que porventura possam ocorrer e que, SE ocorrerem, são todos passíveis de solução.

Percebi também que, havendo menos coisas para cuidar ou peças para escolher, o nível de estresse e perda de tempo em separar o que vestir diminuía muito, sem falar de outras vantagens que a gente nem imagina. Mais liberdade, menos preocupações, mais leveza no corpo e na alma…

Foi então que comecei a refletir: “Se consigo fazer isso por algumas semanas, durante uma viagem, que representa uma fração de tempo da minha vida, porque não conseguiria fazê-lo durante todos os dias da minha existência?”

E desde então, “faço” a minha mala enxuta todos os dias, em cada situação que enfrento, em cada momento que vivo, escolho o que realmente importa. Descobri que, não ter mais tempo ou espaço para aquilo que não é essencial, me deixou mais feliz.

E você? Por que não experimenta?

Fernanda Moretzsohn

Olá, eu sou a Fê. Mãe, esposa e pesquisadora. Atrapalhada por natureza, não dou conta de dois do mesmo. Felizmente pouco me basta, exceto viajar. Sou viciada em café e consumista de viagens. Quando aparece uma chance faço uma malinha enxuta e embarco! No avião, trem, carro ou canoa, tanto faz. Melhor ainda se for a pé. Caminhar, ler, malhar e meditar são as minhas terapias. Adoro compartilhar o que tem nesse nosso mundão. Me acompanha?

11 comentários sobre “Transformando a vida em uma “mala enxuta”

  • Tina Zani 25 de março de 2016 at 16:13 Reply

    Uhuuu!!! Adorei, parabéns! Só não achei graça essa cachorrinha boxer com meu nome nela, rsrsrsrsrs pelo menos você a queria bem, né?
    Sucesso! Está muito bom!
    Beijokas,
    Tina

    • Fernanda Moretzsohn 25 de março de 2016 at 19:44 Reply

      Tina querida, isso foi a long time ago. Minha cachorrinha atual se chama Lilibeth Marie Lousie, no nome dela resolvi sofisticar (kkk).

      • Tina Zani 29 de março de 2016 at 19:19 Reply

        kkkkkkk sofisticou pra valer!!! 😀

  • Fernanda 3 de abril de 2016 at 23:04 Reply

    Amei Fê, minha chará! Estou aprendendo tb a deixar a vida e a mala enxuta! Bjokas

    • Fernanda Moretzsohn 4 de abril de 2016 at 19:11 Reply

      Que bom! Logo, logo estaremos levitando (rs) bjão!

  • Claudia Argeo 14 de abril de 2016 at 22:26 Reply

    Adorei, vc podería colocar dicas de coisas que fez, estou assim também, comecei em janeiro/16, disse que neste ano não compro nada que seja estrictamente necesario, isso incluí roupas, zapatos, coisas pra ksa. E deu tudo que havia tempo nāo usava. Tenho ainda muuitaaa roupa e sapato, acho que vou prorrogar pra 2017. De + dicas, por favor.

    • Fernanda Moretzsohn 15 de abril de 2016 at 16:44 Reply

      Claúdia, o pulo do gato é segurar a entrada, crivo forte, dura na queda, sacou? Quando você vê fica só no essencial mesmo comida, diversões (viagens, reuniões com amigos, cervejinha), saúde,…. Vou tentar fazer posts com mais dicas, blz?
      Obrigada por comentar!!! bjs

  • Pâmela Rocha 2 de junho de 2016 at 08:38 Reply

    Legal! Gostei do texto! Preciso fazer um super desapego aqui em casa.
    Espero por mais dicas! Abraço!

    • Fernanda Moretzsohn 5 de junho de 2016 at 20:34 Reply

      Obrigada Pâmela Rocha! bjs

  • Rosa Maria 19 de julho de 2017 at 02:09 Reply

    Fernanda, me encontrei em ti.
    Borá fazer a “mala enxuta” e ter tempo de fazer o que eu gosto , conviver em harmonia com a natureza e com as pessoas que amo e me fazem bem.

    • Fernanda Moretzsohn 2 de agosto de 2017 at 16:21 Reply

      Olá Rosa Maria, que delicia ler seu comentário, obrigada! Seja muito bem vinda aqui no blog. Você captou muito bem o espirito desse espaço. bjss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *