Foz do Iguaçu: um roteiro para 5 dias

Foto: Julia Moretzsohn

Milagrosamente consegui juntar todos os membros da família para um período de férias express em Foz do Iguaçu. Meus filhos insistem em destinos internacionais, mas além de pesar (muito) no bolso, acho que determinados lugares no Brasil todo brasileiro tem a obrigação de conhecer. As Cataratas do Iguaçu se incluem nesse caso.

No site da Azul consegui aquelas datas promocionais de ida e retorno, que ajudam a minimizar os custos, principalmente quando se trata de alta temporada, mesmo assim, se você puder fugir dos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e julho, é o ideal. Isso aqui no Brasil e em qualquer outro lugar do planeta.

Hospedagem e transporte

Como estávamos em cinco adultos, seria difícil encontrar um táxi que coubesse todo mundo. Pensando nisso, optei pelo Hotel San Martin, que está localizado a poucos metros da entrada do Parque Nacional de Iguaçu, do Parque das Aves e também próximo ao Aeroporto.  Sinceramente, acho que seria melhor se tivéssemos nos hospedado em algum outro hotel na cidade, como fiz da última vez que estive por lá, pois teríamos mais opções para as refeições.  À noite, cansados, acabávamos por jantar no próprio hotel que tem um serviço de self-service a R$70,00/pessoa ou à la carte.

Dentro do hotel há uma agência de turismo que organiza passeios e translados. Como aconteceu com as refeições, pela praticidade, acabamos fazendo a maior parte dos deslocamentos e passeios com eles. Chegamos a ver a possibilidade de utilizar transporte público, mas tudo fica muito distante, daí seriam dois ônibus para ir, dois para voltar e o dia indo para o espaço. Coube o bom senso.

Nisso tudo, conhecemos o sr. Ilias. Um senhor simpático e agradável que trabalha para o hotel, mas que também faz uns bicos como free-lance. Ele tem um carro grande, confortável e uma paciência enorme para esperar os mais folgados e atrasados. Se alguém quiser o contato dele é só pedir que eu passo.

Programação

Dia #1 Parque Nacional do Iguaçu

Fomos ao Parque Nacional do Iguaçu. Chegamos umas 10 horas. Já havia filas.  Descobri depois que é possível comprar os ingressos pelo site  https://tickets.cataratasdoiguacu.com.br/. O valor é de R$37,00/pessoa. Se você retornar no dia seguinte, tem um bom desconto, se não me engano sai por R$11,00. Dê uma perguntada quando adquirir seu ingresso. Antes das 9h e depois das 15 h, reduz muito o volume de turistas. Segundo nos contaram, às 18:30 hs, retornam os últimos ônibus que trazem os turistas de volta para a entrada do Parque. Três horas é o tempo médio para fazer a Trilha das Cataratas que finaliza na Garganta do Diabo. O Passeio do Matuto, aquele do barco que chega bem próximo às cataratas, não fizemos.  Achei o preço descomunal, R$215,00/pessoa, tudo tem limite, né?

Vistas da Trilha das Cataratas
Vista da passarela da Garganta do Diabo
Passarela da Garganta do Diabo
Vista do Mirante do elevador panorâmico

O Parque Nacional do Iguaçu é a parte das Cataratas que fica do lado brasileiro. Essa nossa fatia corresponde a 25% do total. Os argentinos ficaram com a maior parte: 75%.

Dia #2  Parque das Aves e Marco das Três Fronteiras (do lado brasileiro)

Visitamos o Parque das Aves e, ao entardecer, fomos conhecer o Marco das Três Fronteiras (do lado brasileiro), recém inaugurado.

O Parque das Aves está localizado quase em frente à entrada do Parque Nacional de Iguaçu.  O custo da entrada é de R$40,00 para adultos, estudantes pagam meia.

Parque das Aves, Foz do Iguaçu

No primeiro  ambiente da trilha dentro do parque, fiquei intrigada com o fato de vermos aves completamente soltas. Por que não voavam? Achei que tivessem cortado suas asas para não voarem. Mas a história é bem diferente. Algumas não voam mais porque foram propositadamente mutiladas, outras,  devido aos abalos psicológicos sofridos pelos maus tratos.  Ser humano é assim mesmo. Tem os bons e os muito maus.

Parque das Aves. (Foto: Júlia Moretzsohn)

Na verdade, metade das aves que lá estão foram resgatadas pelas autoridades ambientais devido a maus tratos ou por tráfico de animais. Após serem tratadas, quando possível, são novamente soltas, caso contrário, permanecem no parque. Muitas aves, que correm risco de extinção, são reproduzidas lá dentro, sendo que 43% delas nasceram no parque. Para maiores informações acesse o site http://www.parquedasaves.com.br/pt.html.

Parque das Aves (Foto: Júlia Moretzsohn)

A trilha que atravessa os diferentes ambientes do parque é longa. No meio do percurso tem uma lanchonete bem gostosa que convida para uma paradinha  com direito a uma tigela de açaí.

Parque das Aves, Foz do Iguaçu

O Marco das Três Fronteiras, do lado brasileiro, diferentemente do Marco Argentino, paga-se para entrar. Logo na entrada passam um vídeo contando a história das Cataratas e do seu descobridor, o espanhol Cabeza de Vaca. À noite tem show de luzes na fonte. O Restaurante Cabeza de Vaca serve alimentação no local ao preço de R$70,00/pessoa.

Marco das Três Fronteiras-lado brasileiro

Dia #3 Marco das Três Fronteiras (lado argentino), Parque Nacional do Iguazu e  Icebar

No terceiro dia fomos ao Marco das Três Fronteiras (lado argentino), Parque Nacional do Iguazu e  Icebar.

O Marco das Três Fronteiras fica no trajeto para o Parque Nacional de Iguazú (lado argentino), sendo assim, vale a pena uma rápida parada para conferir a confluência dos Rios Paraná e Iguaçú e o ponto de “quase” encontro das bordas dos 3 países. O que vimos no dia anterior, do nosso Marco, vemos por um outro ângulo, do outro lado.

Vista do Marco das 3 Fronteiras (lado argentino)

No Parque de Iguazu tem dois trenzinhos para deslocamento dos turistas. O primeiro é dispensável, já que o trajeto até a segunda estação é curto e a trilha até lá é muito agradável. O segundo trem leva até a trilha que vai para a Garganta do Diabo.

Garganta do Diabo, Parque Nacional do Iguazú

Além da Trilha da Garganta do Diabo, existem ainda mais duas, a superior e inferior. Não fizemos a inferior. O aquentamento do sol nos apreguiçou, como talvez diria Mia Couto.

Vista da Trilha Superior
Vista da Trilha Superior
Vista da Trilha
Superior

Sobre o Icebar na Argentina? Meus filhos entraram, nós (os pais) não. Não se impressionaram muito. É uma câmara fria (-10C), com música, copos de gelo e música. Tempo de permanência no freezer: 30 minutos.

Dia #4 Hidrelétrica de Itaipú,  Templo Budista e o Museu de Cera.

No site https://www.itaipu.gov.br/ você encontrará todas as informações sobre os passeios que são oferecidos em Itaipú. Nós fizemos o Panorâmico. Antes de começar o tour, que é feito de ônibus com paradas em pontos específicos, você assiste à um vídeo sobre a hidrelétrica. Acho que se voltasse para lá faria o Passeio Ecológico. O Lago de Itaipu é maravilhoso, esse que está na foto abaixo,  e é onde fazem os Passeios de Catamarã. O percurso técnico inclui visita ao interior da Usina e explicações mais detalhadas sobre seu funcionamento.

Passeio Panorâmico em Itaipú

Na volta paramos no Templo Budista. Foi minha segunda tentativa de encontrar a “iluminação” e a sabedoria que nos impede de sofrer e nos permite permanecer no presente, já que normalmente estamos em qualquer momento, menos no agora.  Não encontrando a iluminação e a sabedoria, tenha certeza que encontrará a paz, o que já é uma grande coisa nos dias atuais.

Templo Budista, Foz do Iguaçu

O Museu de Cera fica no caminho para o Parque Nacional das Cataratas. No mesmo local funciona o  Maravilhas do Mundo e, ao lado, o Parque dos Dinossauros.

O Museu de Cera é de primeira linha, várias estátuas são muito semelhantes aos originais humanos, inclusive em tamanho. No Maravilhas do Mundo existem pequenas maquetes de  lugares famosos do planeta. O Vale dos Dinossauros é divertido. A maioria deles se move quando alguém se aproxima. Enfim, é uma ótima sugestão para um final de tarde, principalmente para quem tem crianças ou para adultos com alma infantil.

Museu de Cera, Foz do Iguaçu

O valor dos ingressos é salgado: R$100,00 os três lugares. Estudante tem desconto.

Vale dos Dinossauros, Foz do Iguaçu

Dia #5

No nosso último dia,  fizemos um repeteco das Cataratas do lado brasileiro, já que estávamos lá do lado mesmo. Para quem aprecia compras, uma sugestão é Ciudad del Este , do outro lado da Ponte Internacional da Amizade.

Se puder, faça sua reserva pelo booking clicando aqui. Você não pagará nada extra por isso e me ajudará na manutenção do site. Muito obrigada!

Se tiver alguma sugestão, dúvida ou necessitar de mais alguma informação, escreva nos comentários, por favor, adorarei te ajudar :).

Curta a fanpage: www.facebook.com/malaenxuta se quiser me acompanhar quando resolvo sair por aí ou para saber se tem post novo no blog.

Seu comentário é muito importante pra mim, viu?

Um forte abraço,

 

Fernanda Moretzsohn

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fernanda Moretzsohn

Olá, eu sou a Fê. Mãe, esposa e pesquisadora. Atrapalhada por natureza, não dou conta de dois do mesmo. Felizmente pouco me basta, exceto viajar. Sou viciada em café e consumista de viagens. Quando aparece uma chance faço uma malinha enxuta e embarco! No avião, trem, carro ou canoa, tanto faz. Melhor ainda se for a pé. Caminhar, ler, malhar e meditar são as minhas terapias. Adoro compartilhar o que tem nesse nosso mundão. Me acompanha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *